Acessos
domingo, 21 de outubro de 2018
82 9 8139-0717 Anuncie seu produto ou serviço com a gente

22º

Min 22º Max 37º

Parcialmente nublado

Carneiros - AL

às 03:55
Polícia

12/06/2018 ás 08h51 - atualizada em 12/06/2018 ás 09h10

36

Silvanio Rocha/DRT Registro Profissional 1448

Poço das Trincheiras / AL

Preso em operação responde a 16 processos por assalto a banco no Brasil
O suspeito é da Bahia e foi preso no último dia 5 durante a operação onde atuaram o 9º e o 11º Batalhão da Polícia Militar, além da DEIC, da Polícia Civil.
Preso em operação responde a 16 processos por assalto a banco no Brasil

 


Uma coletiva de imprensa realizada na sede da Secretaria de Segurança Pública de Alagoas (SSP/AL) esclareceu detalhes sobre a Operação “Sem Fronteiras”, que resultou em sete prisões e três mortes de suspeitos de participar de quadrilhas de assalto a bancos que atuava em Alagoas e outros estados.


O que chama atenção é que um dos presos, identificado como Artur Gomes Ferreira, de 33 anos, já possui 16 processos por assaltos a bancos, inclusive em São Paulo. O suspeito é da Bahia e foi preso no último dia 5 durante a operação onde atuaram o 9º e o 11º Batalhão da Polícia Militar, além da DEIC, da Polícia Civil.


O secretário de Estado da Segurança Pública, coronel Lima Júnior, se mostrou preocupado com o caso e o estado da segurança do país. “Se um indivíduo tem 16 processos de um tipo de crime e é preso no 17º, ele só chegou a esse número porque a legislação permitiu que ele continuasse na rua. Para mudar, o Brasil precisa de um trabalho na legislação penal e, casos como esse não podem voltar a acontecer”, disse.


Além de Artur, foram presos os alagoanos Alberi Barbosa de Melo, 40 anos, José Barros Júnior, de 34 anos e Egilso Luiz, de 33 anos, os paulistas Renato dos Santos, 49 e Alan Jonny Campos Rodrigues, 33 anos e o paraibano Manoel Virginio da Silva, 34.


O saldo da operação contou com a apreensão de quatro veículos, três rifles, três revólveres, um fuzil, além de mais de 30kg de explosivos que, segundo a polícia, estavam prontos para uso e deveriam ser utilizados em ações futuras de roubos a bancos.


Ainda segundo as informações repassadas, foram atribuídas ao bando as explosões dos bancos de Poço das Trincheiras, Piranhas, Pariconha, Pão de Açucar, além de outros localizados fora de Alagoas. Eles também teriam sido responsáveis pelo ataque a um carro forte em Inhapi, em março deste ano.


Da Redação : Com Agências

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium