Terça, 18 de setembro de 2018
Anuncie com a gente, Contato: 82 9 8139-0717

28º

Min 20º Max 27º

Parcialmente nublado

Palmeira Dos Indios - AL

às 15:26
Política

27/06/2018 ás 12h48

57

Silvanio Rocha/DRT Registro Profissional 1448

Poço das Trincheiras / AL

Celso Luiz é condenado pela Justiça Federal a 28 anos e 5 meses de prisão
Mais três pessoas foram condenadas
Celso Luiz é condenado pela Justiça Federal a 28 anos e 5 meses de prisão

O ex-prefeito de Canapi, Celso Luiz Brandão foi condenado pela Justiça Federal, em primeira instância, a 28 anos e 5 meses de prisão, além de 330 dias multa, pelos crimes de desvio de verba pública, lavagem de dinheiro e integrar organização criminosa.


Além do ex-gestor, também foram condenados, pelos mesmos crimes, Jorge Valença Neves Neto e Carlos Alberto dos Anjos Silva, sentenciados cada um a 20 anos e 4 meses, além de 270 dias multa. Ainda foi condenada Lucileide Canuto dos Anjos Silva a 15 anos e 3 meses, além de 140 dias multa.


A decisão foi dada pela juíza Camila Monteiro Pullin Milan, da 11ª Vara Federal de Alagoas. A sentença completa foi publicada na última terça-feira (26), no Diário Eletrônico da Justiça Federal (da página 18 a 25). Além das condenações a magistrada também absolveu outros réus na ação movida pelo Ministério Público Federal.


Foram absolvidos Chaplin Pascoal de Oliveira, Francisco Barbosa da Silva, José Vieira de Souza, Luiz Carlos Simões, Orlando Soares Brandão e Rita Tenório Brandão (mãe de Celso Luiz). Os réus condenados ainda podem recorrer das decisões em liberdade.


 


Usaram recursos da Educação


O processo que resultou na condenação dos réus teve origem com a operação Triângulo das Bermudas, desencadeada em julho de 2016 pela Polícia Federal em Alagoas. À época, a força-tarefa acusou o ex-prefeito de desviar mais de R$ 10 milhões em recursos do antigo Fundef (Fundo da Educação Básica passado pela União). Os valores foram depositados pelo Governo Federal como pagamento de um precatório.


A investigação apontou que, a quantia foi inexplicavelmente transferida de contas bancárias da Prefeitura para contas de pessoas e empresas ligadas a gestores municipais. A PF indicava ainda fraudes na aquisição de fraldas descartáveis, merenda escolar, transporte escolar e o não repasse do dinheiro descontado a título de empréstimo consignado de professores.


Com; 7Segundos

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium