Uma decisão judicial divulgada nesta quinta-feira (12) proferida pela Juíza Marcella Pontes de Mendonça, da Vara de Maravilha, Sertão de Alagoas, resultou na suspensão da eleição da Câmara de Vereadores de Ouro Branco realizada em dezembro de 2017 na qual foi reeleito para o segundo biênio 2019-2020, o Presidente Josivaldo Amâncio de Oliveira (MDB).


Na época da eleição, três vereadores que integram a oposição no município, são eles: Jailson Salustiano do Nascimento (MDB), José Alisandro Soares de Amorim (PRTB) e Leana Soares Silva (PRTB), haviam impetrado um mandado de segurança anulando a eleição. A Juíza Marcella, suspendeu os efeitos da sessão extraordinária até o julgamento do mérito do mandado de segurança impetrado pelos édis. 


Em contato com o portal Minuto Sertão, o advogado dos vereadores de oposição, o Dr Giordany Melo, comentou a decisão da justiça emitida nesta quinta que culminou na suspensão da eleição da câmara de vereadores de Ouro Branco:


''Na época da eleição, os vereadores de oposição não haviam sido intimados para a sessão no prazo legal. Sem falar que é vedada a reeleição e o presidente mudou o regimento para ser reeleito. Na convocação não constava o objetivo da sessão, a qual se deu a eleição realizada em dezembro do ano passado. O vereador Josivaldo foi eleito em 2017 como presidente da câmara para o biênio 2017-2018. No mesmo ano (2017), o parlamentar, convocou os vereadores para uma outra eleição para a mesa diretora na qual ele próprio concorreu a reeleição, no entanto, de acordo com o regimento interno da câmara, só poderia se realizar a eleição em dezembro deste ano para o biênio 2019-2020. Ele mudou o regimento nesse sentido antecipando a eleição e sendo entre aspas reeleito presidente do poder legislativo de Ouro Branco. Ele havia intimado fora do prazo aos vereadores, de maneira muito rápido na qual apresentou sua chapa. Hoje temos aí o resultado da justiça sendo feita com a suspensão dessa arbietrariedade'', disse o advogado.


Com:Igor Ribeiro/cadaminuto/minutosertao